"O verdadeiro escritor sempre diz tudo escrevendo quase nada"

03/11/2014

Dez Livros

Salve galerinha linda!!! Depois de séculos de abandono total, voltei ao meu querido e amado blog, Tirei a poeira e vou fazer algumas mudanças como banner e etc.... e nesse meio tempo, resolvi  fazer esse post especial sobre os dez livros que balançaram minhas estruturas e mudaram meu modo de pensar e olhar o mundo, (deu dó deixar um monte de fora) livros têm esse poder né? Eu sei que você leitor, acredita nisso fortemente, assim como eu. Os livros podem mudar o mundo e a leitura pode enobrecer a alma. Portanto, espero que gostem desse post e sintam-se a vontade para comentar e deixar ali em baixo quais são os seus livros preferidos, aqueles especiais que conseguiram se tornar seus verdadeiros aliados e amigos ^.^ 



1 - A Sombra do Vento (Carlos Ruiz Zafón) 
Esse é de longe o livro que mais mexeu e mexe comigo. Toda forma de sentimento foi derramada sobre mim enquanto eu o lia. Incrível como eu conseguia amar e odiar ao mesmo tempo, sentir a dor e os prazeres de Daniel Sempere. Apaixonei-me também pelo melhor personagem já criado e moldado - Fermín Romero de Torres, como eu aprendi e amadureci nessa leitura, não tenho muito o que falar dele, até porque se eu começar, esse post não terá fim... Esse é  e sempre será o livro da minha vida. 
Ponto Alto; Cemitério dos Livros Esquecidos.


2 - O Pequeno Príncipe (Antoine Saint Exúpery) 
Um livro que possui a frase " Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" no mínimo tinha que ter me cativado por completo. Leitura de apenas um dia que a gente leva para o resto da vida. Eu chorei com esse Príncipe tào pequeno mas tão cheio de sabedoria, com tanto a ensinar... Acreditem, não é livro de criança. 
Ponto Alto; As Estrelas *o* 


3 - Coração de Pedra (Charlie Fletcher)
Esse foi o livro mais eletrizante que eu já li. Com diálogos rápidos e escrita "diferente" eu adorei passear pelas ruas de Londres enquanto corria o risco de presenciar George ser capturado por estigmas e cuspidos. O livro é o máximo, logo no início conta com um mapa de Londres (Londres *o*) onde podemos nos localizar nas passagens do livro. E para quem gosta de aventura e adrenalina, esse livro é um prato cheio. Esperando as continuações no Brasil. 
Ponto Alto; Edie Laemmel.


4 - Um Gato de Rua Chamado Bob (James Bowen) 
Esse não poderia ter ficado de fora da lista, esse livro conseguiu fazer que meu carinho e respeito pelos gatos aumentasse de mil por cento para um milhão, consegui ser amiga de James e Bob, num piscar de olhos. E essa leitura maravilhosa só me  mostrou que o amor  pelos animais podem fazer milagres. sim, Bob fez um milagre, e James sabe bem do que estou falando ;)
Ponto Alto; A Fuga. 


5 - As Crônicas de Nárnia (C.S.Lewis)  
Como não falar de As Crônicas? Esse livro deveria sim ser lido por todos, deveria ser lido, relido e lido mais uma vez... Ler Narnia é como adentrar em um portal e se deparar com um mundo de descobertas, é tudo muito lindo, meu preferido é O Sobrinho do Mago, o momento mais sublime é quando Aslam está criando Nárnia. Meu, aquilo é sobrenatural demais, meus olhos estão marejados aqui ao recordar a cena, a música, o gramado surgindo sob o caminhar do Grande Leão... se você ainda não leu, leia, esse livro é uma dádiva que Lewis nos deixou. 
Ponto Alto; Por Nárnia e por Aslam 


6 -
Coraline e o Mundo Secreto  (Neil Gaiman) ((( filme de criança que ao mesmo tempo é de terror)))) SIM SINHÔ
Medo. Sim, eu senti medo ao ler esse livro que contém um misto de suspense e terror na dose exata para tirar o sossego de quem o lê a noite (por isso li de dia) huahahahaha. Super sério gente, quem assistiu só o filme nem vai entender muito bem mas vão por mim, a obscuridade e essência do livro conseguem tornar essa trama infanto juvenil em algo muito mais profundo e levemente assustador. Eu amei. 
Ponto Alto; o Gato. 

7 -
Assassinato na casa do Pastor 
Eu amo livros e histórias de suspense, final surpreendente e quem conhece Agatha Christie sabe do que eu estou falando, Ela sabia desenrolar uma trama com desenvoltura e maestria, a mulher era um monstro - no melhor sentido da palavra. Não tem como não se surpreender. Eu já li inúmeros livros dela mas escolhi esse em especial pois foi o que mais me confundiu huahhahah, eu pensava ser uma coisa, daí era outra e depois conclluí que eu estava certa no início mas ela me confundiu e... hã? COMASSIMMMM???!!! Fiquei desse jeito, então, pra mim, esse foi o "melhor" da Mestra do Crime  Ponto Alto; minha cara de besta no desfecho.  


8 - O Jogo do Anjo (Carlos Ruiz Zafón) 
Sim, mais uma vez Zafón eu sei (me segurei para não colocar todos, senão o post seria todos os livros do Zafón que mudaram minha vida), hahahah, enfim, esse não poderia ficar de fora até porque, é uma "continuação" de A sombra do Vento, e para quem leu A Sombra, o final do O Jogo é algo pra lá de impressionante. Eu fiquei chocada com a ligação tênue entre os dois livros. A forma com que Zafón uniu as história é de uma delicadeza e presteza fora do comum. O mais incrível de tudo é que eles podem ser lidos em qualquer ordem, isso mesmo, se você ler O Jogo antes de A Sombra, irá se surpreender, e se vc ler A Sombra antes de O Jogo, irá se surpreender de outro jeito. sim, Carlos Ruiz Zafón é de longe, um gênio e tem o dom de explodir cabeças. Até hoje, mesmo depois de te-lo lido duas vezes, me pergunto muita coisa, mas muita coisa mesmo... um dia espero tirar algumas dúvidas pessoalmente hahahahah.  
Ponto Alto; O broche na lapela.  


9 - Harry Potter E o Enigma do Príncipe  (J.K.Howling)
Impossível ler os sete livros da saga Harry Potter e não ter um favorito, um que se destaque mais, ou que choque mais. Eu fiquei entre O Cálice de fogo e O Enigma do Príncipe mas parando para recordar, lembro-me do choque que me causou o final de O Enigma do Príncipe. Só de olhar para aquela capa verde, todo o passado me vem, as tardes de verão que me entreguei completamente a leitura sem intervalos, era somente o livro e eu. Nada de Facebook ou Whatsapp (que na época nem existia). Lembro da agonia que senti na parte da caverna, com todo aquele pavor da cena da [água - Dumbledore - Harry]. Toda a profundidade e o aspecto frio e obscuro me tomaram por completo. Era como se eu estivesse ali com eles, vendo tudo as escondidas, eu devorei esse livro em 3 dias... saudades desse tempo em que eu me dedicava muito mais a leitura, ahhh o tempo, como ele faz falta... 
Ponto Alto; "MATE-ME" 


10 - O Hobbit (Tolkien)
Esse foi o livro que mais li hahahaha, já o li 4 vezes e quero ler mais. Lembro que eu ficava olhando para essa capa, observando as Águias, a floresta  e viajando na ilustra huahahahhahah, deitava no gramado e só saía de lá quando o sol desaparecia atras das montanhas. Que delícia de leitura, era só fechar os olhos por alguns segundos e eu era parte daquilo, estava junto deles, estava junto de Bilbo Bolseiro em sua maior aventura. Posso dizer também que esse é o livro da minha vida. 
Ponto Alto; Smaug.
-
Adriana Amaral - Escritora/Desenhista.

Obrigada pessoal \o/


08/09/2013

Entrevista Exclusiva; Renato Rodrigues

E em entrevista exclusiva para o "DriihEscritora" o escritor fantástico Renato Rodrigues, criador de Os Dragões de Titânia respondeu a algumas perguntas. Você que quer entrar para esse mundo mágico das palavras, não deixe de ler e compartilhar com seus amigos amante dos livros. Ler é uma arte e escrever é tecer com a alma mundos ocultos presos no fundo da memória, e só um verdadeiro mestre da escrita, pode trazê-los ao mundo real ^.^
-
Driih >> Renato, o que te levou a querer ser escritor?
R: Eu sempre gostei de desenhos e de humor, então sempre quis ser cartunista ou um roteirista de esquetes. E cheguei a ser mais de 15 anos. Meu primeiro livro sem ser de humor caiu no meu colo na forma de uma encomenda de trabalho. A Editora que eu prestava serviços queria uma aventura de fantasia para um novo selo de ficção e eu dei a sorte de estar por perto para aceitar. Transformei algumas aventuras de RPG numa trama com inicio meio e fim e dei o meu melhor para que fosse uma boa história. Mas ainda não me considero um escritor. Acho que sou um contador de histórias.

Driih >> Qual foi o melhor momento que a escrita já te proporcionou?
R: Cada lançamento (foram 3 até agora) foi um momento muito feliz, principalmente porque os livros sempre chegaram em cima da hora e eu morria de medo de ninguém aparecer... ou pior, dos livros não aparecerem! Mas acho que cada vez que alguém comenta uma passagem que lhe fez sentir bem, que o inspirou ou que pelo menos o divertiu eu me sinto realizado. Já vale cada final de semana de dedicação descabelado na frente do teclado.

Drihh >> Tem alguma dica para dar aos jovens escritores que querem ter seu primeiro livro publicado?
R: Um conselho que um gráfico da saudosa editora EBAL me deu quando eu, bem novo, lá estive numa excursão e disse que queria ser desenhista: ele disse “Desenhe, não faltam canetas, lápis e nem papel por aí, então desenhe sempre que puder, desenhe qualquer coisa”. Descobri que isso vale para a escrita. A inspiração é importante, mas no fim das contas, escrever é um trabalho como qualquer outro. Então sente, respire fundo, e ESCREVA. Se ficar ruim, reescreva. Mostre pra algum amigo e se ele lhe aconselhar algo que você concorde, reescreva mais uma vez. Dê o seu melhor e o leitor dará o dele.
-
-
"Abraço para Drii e quando puder visitem meus papiros virtuais em www.dragoesdetitania.com"
-
Obrigada Renato Rodrigues pela simpatia de sempre. Sucesso, e que venham mais livros.

Até a próxima pessoal. 

31/12/2012

Motivações


 A beira de um lago esverdeado, sob a sombra de uma velha e extensa árvore, Keira e Thomas repousavam satisfeitos após um caprichado piquenique. Os dois eram amigos de infância e apesar de terem a mesma idade, Keira era vista por ele como uma verdadeira sábia; uma conselheira como ninguém no mundo saberia ser. Entre o canto dos  pássaros e o chacoalhar do vento nas folhas secas, a voz de Thomas soou
  - Se pararmos para analisar a situação nos dias decorrentes, realmente tem 98% de chance de dar errado. As pessoas me aconselharam. E tudo que tenho ouvido é que não devo persistir em algo tão complicado, tão absurdo e que no final das contas só vai gerar confusão...
  Keira o ouviu pacientemente enquanto seus pés desnudos mergulhavam no lago cor de esmeralda. Seus olhos visavam todo o redor como se quisessem captar palavras acomodadas no silêncio. Ajeitou o colar de libélula que ornava seu pescoço e por fim falou
  - E os 2% de chance de dar certo? - nesse exato momento, Thomas sentiu seu estômago comprimir, não respondeu e ela continuou – devemos aprender a ouvir opiniões com sabedoria, afinal todos têm algo a ensinar, mesmo que com palavras negativas. A diferença está em como as absorvemos. Pense em feijões recém-colhidos. Eles têm que ser separados. Os bons são aproveitados enquanto os ruins são postos para fora do tacho. 
      As palavras de Keira tinham o poder de expulsar qualquer negatividade com sua autoridade verídica. Nada sobrava ao redor a não ser a certeza de que ela sempre estaria certa, pelo menos para ele. Queria perguntar mais uma coisa mas receou com um disfarce bobo, fingindo ter escutado um barulho adiante mas foi surpreendido pelo olhar certeiro da amiga, por fim gaguejou ao dizer:
        - Keira, você a-acredita mesmo no impossível?
        Os olhos de Keira, negros como uma noite sem luar se acenderam e mil estrelas faiscaram dentro deles – Thomas, o impossível só foi criado para nos por a prova todos os dias. Ele simplesmente não existe para as pessoas capacitadas e dispostas a lutar pelo que se acredita. E se você é capaz de duvidar de si mesmo, não é digno sequer de sonhar. 
       Outra vez o estômago de Thomas foi comprimido como se uma mão o tomasse por dentro e espremesse sem piedade. Keira além de sua amiga era a voz que mandava em sua consciência. Não uma voz de palavras bonitas e doces que amansam o errado e agradam o que deve ser reprovado com um quê de falsidade eminente. Como poderia ser tão sábia e jovem ao mesmo tempo? Ela já havia respondido essa questão uma vez; para se ter certeza do que diz, não precisa ter os cabelos brancos tampouco a pele enrugada mas sim ouvidos que saibam ouvir e boca que saiba falar apenas quando o assunto lhe convir. 
      - Pretende lutar? - Disse ela com um sorriso que fazia com que seu rosto parecesse ainda mais sedutor do que já era – pretende ir atrás de seus sonhos loucos que fazem de você um louco desvairado mas realizado ou vai sentar para remoer as sobras que lhe lançam como se você fosse um  mendigo merecedor de migalhas
     Thomas levantou-se. O vento que antes era oculto balançou seus cabelos cor de trigo. Sua voz saiu cheia de certeza, o que fez com que Keira suspirasse com um certo ar de orgulho e missão cumprida.
    -  Aqueles 2% nunca me pareceram tão atraentes – disse ele com um largo sorriso - Os 98% de negatividade acabaram se transformando em degraus os quais irei subir um a um. Olhos de pessoas comuns visam impossibilidades, já os olhos dos loucos preferem nem enxergar.   
     A tarde se foi, e eles também, Thomas e Keira se afastaram da enorme árvore a passos lentos. Keira sorria para Thomas, Thomas encarava Keira. E um só desejo consumia seu coração; o de conquistar a mulher que mais amava no mundo todo. A mais intocável aos olhos do povo – Keira Midnight, princesa da velha  Inglaterra, enquanto Thomas Sonth era seu servo. Um simples e louco plebeu.                                        













-
(Adriana N. Amaral)

                                                                   

02/10/2012

Amor sem limites

    "Os dias passam devagar" ouço você dizer enquanto descansa mansamente sob sombra desse velho abacateiro...  Olho para as minhas patas cansadas e concluo que a nossa realidade é cruelmente contrastante. Vejo a vida passar pelos meus olhos e temo que os dias ao seu lado estão se escoando sem que eu possa intervir. Tento captar seu sorriso com minha visão limitada e a alegria vem transbordante quando chama por meu nome; tudo se acende, torna-se nítido, real, o tempo para, pelo menos por alguns segundos, ah... segundos tão eternos. Quero que perceba isso, sorrio com a cauda e lhe afago com meus golpes pesados que por vezes o derruba no chão. 
      Permanecerei ao seu lado mesmo que você nunca venha perceber. Estarei ali até mesmo quando me chamar e eu não for mais capaz de ouvir. Permanecerei porque a sua presença já faz parte de mim e o instinto me guiará. 
    Permanecerei com a dádiva de te amar sem limites, de te proteger sem medo e até mesmo de te guiar sem forças. Estarei ao seu lado até o fim...  e pouco antes da morte nos separar, meu último pensamento será você. Esteja certo de que minhas infinitas lembranças o abraçará. Pedirei ao vento que sussurre uma canção ao seu ouvido e você de certa forma concluirá que apesar de eu ser apenas um cão, cumpri com o meu maior propósito, o de ser fielmente o seu melhor amigo. 
-
-
(Adriana N. Amaral)
-
   

08/06/2012

A banalização do amor

Ultimamente tenho escutado algumas pessoas falando de amor e associo tal assunto com torradas mal passadas, porém comestíveis. A banalização tropeça com o ridículo todos os dias, com mais frequência com que se troca as fraldas dos bebês. A atração fatal e física tomou lugar de algo tão singular perdido no subconsciente humano, transformando o maior sentimento do mundo em uma simples aventura dessas descritas em contos desapercebidos nas colunas de jornais baratos. 
É muito mais fácil nos dias decorrentes ouvir um “eu te amo” do que cozinhar seu miojo em 3 minutos e obter sucesso. 
Não estou com raiva do mundo, revoltada com a civilização ou algo semelhante; eu só estou decepcionada, essa é a verdadeira palavra que define meus sentimentos nesse instante; decepção. 
O que eu quero dizer é que o amor não é um pedaço de pizza que se come no dia seguinte com cara de paisagem. O amor é amplitude, é imensidão, pode até acontecer por acaso mas é duradouro, é crescente; o amor não é um colega desconhecido, ele é amigo. O amor não se importa com o tempo ou distância, o amor é poderoso e vira nossa vida ao avesso e nos faz sentir as mais variadas sensações, desde frio a calor demasiado  e mesmo assim nos mantém vivos querendo senti-lo apesar dos riscos que marcam a nossa alma para sempre...
...
AME como AMA o AMOR e não como mandam as modinhas desse mundo; que vem avassalando corações e vai como se nunca estivesse existido 
-
(Adriana N. Amaral)

10/04/2012

Simples assim

Ser escritor vai muito além de publicar livros e distribuir autógrafos... Isso se torna supérfluo perto do que ele realmente vem a ser.
O verdadeiro escritor entrega-se aos mais loucos mistérios, envolvendo sua mente, imaginação, adaptando-se a noites em claro, silêncio e solidão.
O verdadeiro escritor na maioria das vezes está oculto do resto do mundo, fabricando sonhos, construindo vidas e esculpindo sua originalidade incomum.
Pouco se preocupa com títulos e capas, pois para si tem a confirmação de que o que arrebata de verdade é o conteúdo extraído do seu subconsciente.
Nada mais.
-
(Adriana N. Amaral)

01/02/2012

Mundo Materialista

Numa manhã de inverno, a chuva fina batia na janela envidraçada daquele quarto embebido de luz âmbar que vinha de um abajur da escrivaninha. Linka estava sentada, o olhar perdido em lugar algum. Seus dedos deslizavam por uma folha de caderno amarelada sobre a mesinha de cabeceira, uma caneta-tinteiro repousava ao seu lado. Polus a observava calado, a barba cobria seu rosto impiedoso. Seus olhos estavam cheios de palavras mudas, essas que Linka bem conhecia. Foi quando ela arriscou:
     - Devo abrir mão dos meus sonhos se quiser viver nesse mundo onde as coisas são reais somente se vivermos com os pés no chão. - Linka não acreditava em suas próprias palavras ao ponto de falar pausadamente cada uma delas como se de si estivessem sendo arrancado cada pedacinho da alma.
     Polus continuou a observar. Calado. Digerindo o momento, mesmo  com a resposta na ponta da língua, deixou que a amiga continuasse.
     - Eu sei que parece loucura mas é que me falaram isso hoje, que devo abrir mão de meus sonhos se quiser viver uma vida real, se quiser sobreviver a esse mundo materialista.
     O único barulho que se ouvia era da chuva contínua salpicando na janela, tudo estava em silêncio, era como se o redor espectasse, quando Polus enfim saiu de sua estadia, o barulho de seus passos entregava sua presença ao quarto. Firme, protetora, sábia...
      Aproximou-se da folha que repousava na mesinha, tomou-a e pediu para que Linka transpassasse para ela cada sonho por menor que fosse, por maior que fosse, por mais louco que fosse. Tomou a caneta-tinteiro e fez menção a ela que obediente começou a escrever um a um, sonho por sonho. Parecia em transe enquanto escrevia, suas mãos estavam firmes, decididas e seus olhos fixos no papel como se sua vida dependesse daquilo; e de fato dependia sim. Entregou a folha escrita de cima a baixo para um Polus sorridente mas contido em seu ar lupino.
     - Agora recorte cada palavra - disse ele decididamente deixando Linka ainda mais confusa - recorte cada uma e depois dobre-as uma a uma, como se fosse fazer um sorteio com elas.
     Linka obedeceu, recortou cada palavra e dobrou cada pedacinho de papel com cuidado repousando-os em seguida na mesinha cor de musgo. - E agora? - Perguntou confusa _ o que faço com eles?
     Polus respirou, aquela calma característica que dava nos nervos. O olhar de Linka não desviava do dele, queria enfim entender o por que de tudo aquilo
     - Junte-os com suas mãos, pegue-os. 
     Linka obedeceu, acolheu os pedacinhos de papel da mesa e segurou-os como ele havia pedido.
     - Agora, minha cara jovem, abra suas mãos com força.
     Linka o observou, o coração começou a acelerar, sentia-o compulsivo ao seu peito 
     -ABRA!! ESTOU MANDANDO!!!
     O eco de sua voz surtiu quente em seus ouvidos, era como se estivesse levando um soco do mundo.
     - NÃO!!! - Disse ela enfim
     - Abra agora essas mãos Linka, deixe que caiam, deixe que desapareçam debaixo do tapete, que voem pela janela, que se percam debaixo da cama. Eu estou mandando, é um conselho, por que não o está seguindo de cabeça baixa como fez quando os outros lhe "aconselharam"? Por que enfim não está me ouvindo como ouviu quando pessoas sem sonhos lhe disseram o que fazer? Por que agora você sentiu vontade de me desafiar? - Sua voz saia ameaçadora, mas ao mesmo tempo convicta, certeira - Eu sei por que, porque agora você tocou em cada um deles, você os segurou, os trouxe para si. Mas não é assim que deve agir; você não deve defender só o que pode tocar e ver, deve defender suas idéias porque elas são mais reais do que você imagina Linka, as suas ideias e ideais são o que fazem você ser o que você é e também chegar onde só você pode chegar. Acredite mais em si para que no final da vida não se arrependa de ter vivido em cima de uma mentira materialista e limitada de seres humanos comuns.
     Linka chorava, não de tristeza mas de ter ouvido tudo que mais precisava. Guardou os pedacinhos de papel na gaveta e olhou pro amigovque sorridente mostrava a luz que entrava pela janela. A chuva havia passado assim como a sua incerteza. O tempo estava alaranjado e ela pode ver seus sonhos dançando pelos ares, certos de que seriam um a um explorados até o ultimo dia da sua vida não materialista.
-
(Adriana N. do Amaral)
-
Crônica baseada em meu livro A TRILHA MÁGICA onde os personagens Linka e Polus fazem parte

11/01/2012

Pedido sincero

Preciso de alguém  pronto a mostrar seu mundo e preparado pra conhecer o meu.
Preciso de alguém que não fuja da chuva quando ela estiver convidativa,
que pule nas poças e me puxe pelo braço sem medo de se molhar, ou com medo que eu me molhe
que dance comigo mesmo sem ritmo, que sinta a batida mesmo na falta do som. 
Preciso de alguém que me conte histórias do espaço sideral, de outros mundos, portais, espadas e conquistas mesmo tendo certeza de que conheço todas.
Preciso de alguém que acredite nos livros, que leia comigo deitado numa grama qualquer. Preciso de alguém que busque a liberdade, sonhe com o futuro e tenha em mente que nada na vida é fácil, mas que juntos nos tornamos fortes o suficientes pra conquistarmos o que desejamos. Preciso de alguém maduro o suficiente pra encarar os desafios da vida mas que preserve a criança dentro de si e se orgulhe da criança que existe em mim.
Preciso de alguém que jogue video-game comigo, que assista Senhor dos Anéis sem reclamar que é um filme longo, que cante musicas de animê mesmo sem saber japonês, que ria das minhas piadas sem graça, e que conte as mais sem graça pra me fazer rir. Preciso de alguém que me olhe nos olhos e enxergue que minha alma só pede por um alguém sincero, verdadeiro, que supere limites, que saiba esperar em Deus, que me respeite e me aceite como sou e que só abra a boca pra dizer eu te amo quando estiver certeza de que é pra sempre e não uma simples atração física que sinceramente, não faço questão nenhuma de despertar em ninguém ^^
-
-
Adriana N. Amaral

21/12/2011

amor verdadeiro

Se o amor for verdadeiro,    será benigno
não destruirá sua visão,  seus sonhos,  sua fé
não ferirá a sua alma nem seu coração
seguirá contigo por onde quer que fores
se mostrará forte quando você se sentir fraco
chorará e sorrirá contigo
será o seu melhor amigo...
Se for verdadeiro,  não largará sua mão
e sim vai apertá-la com força para certificar-se de que estas seguro.
Por isso, leva tua vida de acordo com teus propósitos
se for amor, resistirá
e se for de Deus, permanecerá para todo o sempre...
-
(Adriana N. Amaral)

20/12/2011

o vento e o tempo

O mesmo vento que te trouxe pra mim, decidiu te levar
não sei bem pra onde, não sei se vai demorar ou se ao menos vai voltar
A resposta está no tempo
que nos ensina esperar
que nos ajuda a superar
e que nos mostra que muitas vezes o melhor é aceitar

-
(Adriana N. Amaral)

Postagens mais antigas Página inicial

Os Populares

O Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe
Tu não és para mim senão uma pessoa inteiramente igual a cem mil outras pessoas. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo...

Seguidores

Total de visualizações

Copyright © @DriiEscritora | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes