"O verdadeiro escritor sempre diz tudo escrevendo quase nada"

31/12/2012

Motivações


 A beira de um lago esverdeado, sob a sombra de uma velha e extensa árvore, Keira e Thomas repousavam satisfeitos após um caprichado piquenique. Os dois eram amigos de infância e apesar de terem a mesma idade, Keira era vista por ele como uma verdadeira sábia; uma conselheira como ninguém no mundo saberia ser. Entre o canto dos  pássaros e o chacoalhar do vento nas folhas secas, a voz de Thomas soou
  - Se pararmos para analisar a situação nos dias decorrentes, realmente tem 98% de chance de dar errado. As pessoas me aconselharam. E tudo que tenho ouvido é que não devo persistir em algo tão complicado, tão absurdo e que no final das contas só vai gerar confusão...
  Keira o ouviu pacientemente enquanto seus pés desnudos mergulhavam no lago cor de esmeralda. Seus olhos visavam todo o redor como se quisessem captar palavras acomodadas no silêncio. Ajeitou o colar de libélula que ornava seu pescoço e por fim falou
  - E os 2% de chance de dar certo? - nesse exato momento, Thomas sentiu seu estômago comprimir, não respondeu e ela continuou – devemos aprender a ouvir opiniões com sabedoria, afinal todos têm algo a ensinar, mesmo que com palavras negativas. A diferença está em como as absorvemos. Pense em feijões recém-colhidos. Eles têm que ser separados. Os bons são aproveitados enquanto os ruins são postos para fora do tacho. 
      As palavras de Keira tinham o poder de expulsar qualquer negatividade com sua autoridade verídica. Nada sobrava ao redor a não ser a certeza de que ela sempre estaria certa, pelo menos para ele. Queria perguntar mais uma coisa mas receou com um disfarce bobo, fingindo ter escutado um barulho adiante mas foi surpreendido pelo olhar certeiro da amiga, por fim gaguejou ao dizer:
        - Keira, você a-acredita mesmo no impossível?
        Os olhos de Keira, negros como uma noite sem luar se acenderam e mil estrelas faiscaram dentro deles – Thomas, o impossível só foi criado para nos por a prova todos os dias. Ele simplesmente não existe para as pessoas capacitadas e dispostas a lutar pelo que se acredita. E se você é capaz de duvidar de si mesmo, não é digno sequer de sonhar. 
       Outra vez o estômago de Thomas foi comprimido como se uma mão o tomasse por dentro e espremesse sem piedade. Keira além de sua amiga era a voz que mandava em sua consciência. Não uma voz de palavras bonitas e doces que amansam o errado e agradam o que deve ser reprovado com um quê de falsidade eminente. Como poderia ser tão sábia e jovem ao mesmo tempo? Ela já havia respondido essa questão uma vez; para se ter certeza do que diz, não precisa ter os cabelos brancos tampouco a pele enrugada mas sim ouvidos que saibam ouvir e boca que saiba falar apenas quando o assunto lhe convir. 
      - Pretende lutar? - Disse ela com um sorriso que fazia com que seu rosto parecesse ainda mais sedutor do que já era – pretende ir atrás de seus sonhos loucos que fazem de você um louco desvairado mas realizado ou vai sentar para remoer as sobras que lhe lançam como se você fosse um  mendigo merecedor de migalhas
     Thomas levantou-se. O vento que antes era oculto balançou seus cabelos cor de trigo. Sua voz saiu cheia de certeza, o que fez com que Keira suspirasse com um certo ar de orgulho e missão cumprida.
    -  Aqueles 2% nunca me pareceram tão atraentes – disse ele com um largo sorriso - Os 98% de negatividade acabaram se transformando em degraus os quais irei subir um a um. Olhos de pessoas comuns visam impossibilidades, já os olhos dos loucos preferem nem enxergar.   
     A tarde se foi, e eles também, Thomas e Keira se afastaram da enorme árvore a passos lentos. Keira sorria para Thomas, Thomas encarava Keira. E um só desejo consumia seu coração; o de conquistar a mulher que mais amava no mundo todo. A mais intocável aos olhos do povo – Keira Midnight, princesa da velha  Inglaterra, enquanto Thomas Sonth era seu servo. Um simples e louco plebeu.                                        













-
(Adriana N. Amaral)

                                                                   
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

16 comentários:

  1. lindo parece livro

    ResponderExcluir
  2. Lindo demais, que final surpreendente

    ResponderExcluir
  3. Simplesmente demais, sem palavras! Você é demais Driih *-*

    ResponderExcluir
  4. Como já disse, você tem o dom das palavras. Que nosso Senhor continue lhe dando mais e mais inspiração no ano vindouro.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Preciso da continuação. Você pretende continuar Adri?

    ResponderExcluir
  6. Lindo, lindo!!!!
    PArabéns, Drii!!!
    Bjoks e q em 2013 venham muitos textos como esse...

    ResponderExcluir
  7. Incrível Adriih, como sempre, não tenho palavras pra descrever sua criatividade divina, Parabéns *.*

    ResponderExcluir
  8. Lindo, lindo, perfeito, lindo, perfeito, sábio, lindo, lindo como você irmã!!!!!!!
    Te amo!!!!!

    ResponderExcluir
  9. que texto sensacional, nem sei o que dizer, perfeito? A sei lá...

    ResponderExcluir
  10. Lindo demais mana, adoro esse assunto, e vivo falando disso, demais mesmo maninha!

    ResponderExcluir
  11. Nossa, que saudade de ler um texto de sua autoria, Drii! ^^

    Gosto das suas descrições e metáforas, bem como apresentação de personagens. E nem preciso dizer que me identifico com o tema, de como a determinação é o importante para se conseguir qualquer coisa, tanto no trabalho como no amor.

    Senti saudades de voltar aqui. Por favor, escreva mais e continue nos brindando com o seu talento, querida Drii! ^^

    Beijão! ;*****

    ResponderExcluir
  12. lindo lindo lindo

    ResponderExcluir
  13. Diogo Pereira Neves5 de janeiro de 2013 05:16

    Linda colocaçao, dias atrás eu estava discutindo sobre isso com minha esposa, somos capacitados mas só saberemos disso se lutarmos. Então que venha a batalha. Adorei demais o texto Adriana. Consegui imaginar uma vida inteira para os dois

    ResponderExcluir

Os Populares

O Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe
Tu não és para mim senão uma pessoa inteiramente igual a cem mil outras pessoas. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo...

Seguidores

Total de visualizações

Copyright © @DriiEscritora | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes